↑ Voltar a Imprensa

Entrevista Folha de Londrina

VEJA O ORIGINAL AQUI

23/06/2014 — 00h00

Incontinência urinária pode ser tratada com fisioterapia

Exercícios de fortalecimento da região do períneo melhoram a qualidade de vida de homens e mulheres

Quando exercitamos um músculo do nosso corpo, a repetição de exercícios faz com que ele ganhe força. Há, porém, uma região muscular pouco lembrada e muito importante para o bem-estar e a saúde: o períneo. Formado por um conjunto de músculos que ficam na base da bacia, o períneo é responsável por sustentar os órgãos pélvicos, prevenir prolapso da bexiga, útero, reto, além da incontinência urinária e fecal. Segundo a fisioterapeuta Laira Ramos, especialista na área, a musculatura perineal também é importante para a sexualidade masculina e feminina.

“Muitas mulheres lembram de trabalhar este músculo apenas antes ou depois do parto para evitar a incontinência urinária, mas é importante exercitá-lo durante toda a vida”, salienta a fisioterapeuta. De acordo com ela, muitas pessoas nem sabem da existência do períneo porque não têm o hábito de trabalhar esta musculatura. Laira acrescenta que os exercícios realizados facilitam que a mulher tenha mais consciência desta área do corpo. “Exercitar esta região traz benefícios especialmente para as mulheres que apresentam queixas em relação à sexualidade. A mulher que tem estes músculos fortalecidos possui mais facilidade de chegar ao orgasmo”, explica.

A fisioterapia no períneo é realizada com a contração e relaxamento da musculatura desta região. Há aparelhos que possibilitam a visualização da contração no computador e permitem que o profissional oriente a paciente caso ela esteja fazendo o exercício de forma incorreta. “Mesmo as mulheres que passam por cirurgia de incontinência urinária ou de prolapso devem fazer fisioterapia para prevenir a reincidência do problema”, destaca Laira.

Nos homens, segundo a fisioterapeuta, o períneo é mais estável, portanto os problemas relacionados à incontinência urinária são menos frequentes do que nas mulheres. No entanto, aqueles que passam por cirurgia de próstata podem apresentar tanto a incontinência quanto a disfunção sexual. Laira afirma que em ambos os casos o fortalecimento do períneo traz resultados positivos. “É possível corrigir estes problemas com a fisioterapia, mas para alcançar um bom resultado os exercícios devem começar em no máximo um mês após o procedimento cirúrgico”, diz a fisioterapeuta. Para ela, o ideal seria que os pacientes já iniciassem o preparo do períneo antes da realização da cirurgia.

Os resultados deste tipo de fisioterapia aparecem normalmente após um mês de tratamento. “Não é um trabalho a curto prazo porque trata-se do fortalecimento de músculos. Geralmente é necessário de quatro a seis meses para alcançar o objetivo. Mas, dependendo da gravidade da situação, pode ser necessário mais tempo de acompanhamento”, aponta a fisioterapeuta e professora da Unopar, Fernanda Sereniski Beraldo. Ela acrescenta que é fundamental que o paciente continue fazendo os exercícios em casa mesmo após encerrar as sessões de fisioterapia.

Conforme Fernanda, as pessoas não precisam esperar a chegada da incontinência urinária ou do prolapso para iniciar a fisioterapia. “O ideal é fazer os exercícios como forma de prevenção deste problema”, destaca. Ela explica que a menopausa pode trazer incontinência urinária ou prolapso genital. Neste caso, os problemas também podem ser prevenidos com o trabalho correto da musculatura do períneo.

Serviço
A Unopar oferece atendimento gratuito a gestantes e mulheres que apresentam incontinência urinária e prolapso genital. O telefone da clínica de fisioterapia é (43)3371-7816.