↑ Voltar a Sexualidade

Pênis / Próstata

penis_site_

O pênis, também chamado falo ou falus, é motivo de grandes preocupações para os homens, principalmente no que diz respeito ao seu tamanho. Seu tamanho varia, em média, de 12 a 15 centímetros quando está ereto. Tem a função sexual/reprodutora e urinária; e é constituído de 3 partes: cabeça, corpo e raiz.

  • A cabeça é onde está a glande, sua parte mais sensível. Quando o pênis está flácido, a glande está coberta pelo prepúcio. Quando, mesmo que em ereção, a glande continua sendo coberta por esta pele é indicado que seja feita a cirurgia de fimose. Os judeus fazem esta cirurgia por motivos religiosos.
  • O corpo é a sua maior extensão, onde estão os corpos cavernosos e o corpo esponsojo. Os corpos cavernosos são os principais responsáveis pela ereção do pênis, causado pelo aumento do fluxo sanguíneo nessa região. O corpo esponjoso, embora também seja responsável pela ereção, está em volta da uretra, fazendo sua proteção.
  • A raiz é a sua parte interna, que não podemos visualizar, que fixa este órgão ao osso púbico.

Embora não seja comum, é possível fraturar o pênis, isso acontece quando há um trauma em seu estado erétil, geralmente durante a relação sexual. Nesses casos é recomendado que se procure rapidamente um hospital.

Os testículos estão na base do pênis, envoltos pelo escroto, são responsáveis pela produção do espermatozóide. Ao contrário da mulher, que produz seus óvulos só até a menopausa, os homens são capazes de produzir espermatozóides a vida toda.

A próstata está na base da bexiga e é responsável, juntamente com a vesículas seminais, pela produção do líquido seminal que se junta ao espermatozóide para formar o sêmen. Os homens, após os 40 anos, devem fazer o toque anual da próstata para o diagnóstico precoce do câncer.

A hiperplasia benígna da próstata não é câncer e tem como principal sintoma dificuldade na hora da micção, retenção urinária. A hiperplasia maligna da próstata, que é o câncer, costuma ser assintomática, por isso o toque retal é tão importante para o diagnóstico precoce dessa patologia.

Quando detectado o câncer a cirurgia mais comum é a prostatectomia, retirada da próstata. A incidência de incontinência urinária e disfunção erétil após esta cirurgia é bastante comum. O tratamento com o protocolo Reabilitação Perineal Ativa está se mostrando muito eficaz nesses casos, o tratamento precoce aumenta o índice de sucesso na recuperação.

A prostatite é a inflamação da próstata, que leva a um quadro de dor nessa região. Essa patologia dever ser diagnosticada por um urologista. Quando, mesmo na presença de dor, não é encontrada nenhuma infecção então temos um quadro de algia pélvica crônica, nesses casos o tratamento com a fisioterapia tem grande sucesso, onde podem ser aplicadas técnicas da Reabilitação Perineal Passiva.

Ao contrário da mulher, o homem não consegue ter orgasmos múltiplosisso acontece porque o pênis precisa mais tempo para se recuperar após o orgasmo. A reabilitação perineal aumenta a irrigação sanguínea na região da pelve, melhorando a ereção.

Nem todo orgasmo é acompanhado da ejaculação, e nem toda vez que o homem ejacula ele tem orgasmo. Embora estes dois fatores estejam quase sempre juntos é possível que acontecem em separado. Os homens também podem fingir orgasmo.

O controle dos músculos do PERÍNEO pode ajudar os homens a manter a ereção por mais tempo, sendo um tratamento recomendado para a ejaculação precoce.

*Somente os fisioterapeutas formados pela fisioterapeuta Laira Ramos podem utilizar o protocolo RPA e o RPP.

sexualidade, sexo, prazer, sexualidade masculina, períneo, fisioterapia perineal, reabilitação perineal, disfunções perineais,disfunções sexuais, Reabilitação Perineal Ativa, RPA,  Reabilitação Perineal Passiva, RPP,  Laira Ramos, incontinência urinária, algias pélvicas, penis, orgasmos múltiplos, ejaculação, próstata, prostatectomia, disfunção erétil, prostatite